Prefeitura Municipal de Carmo da Mata

Você sabia? Este website foi desenvolvido com a solução Portal Fácil?
Imprimir Email

Institucional

Programa de Combate ao Tabagismo é implantado pela SEMUSA

por Assessoria de Comunicação

29/09/2017 15:03

 A Secretaria Municipal de Saúde dá mais um grande passo a favor da comunidade carmense. O Grupo Antitabagismo, coordenado por profissionais do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF), está com suas atividades a todo vapor. As reuniões que acontecem todas as quartas, às 17h, no PSF Jardins – ao lado da Santa Casa –, já estão auxiliando várias pessoas que desejam largar o cigarro.

O grupo conta com apoio de uma equipe multidisciplinar, composta por Enfermeiros, Psicóloga, Nutricionista, Médico, além da Coordenadora de Atenção Primária. Estes profissionais, que são coordenados pela psicóloga Maria Célia Melaninho e pela enfermeira Joana D’arc Cândida, vêm se empenhando na tentativa de levar aos usuários do sistema público de saúde toda a estrutura necessária para deixar o tabagismo. “Oferecemos aos usuários toda atenção necessária. Contamos com atendimento psicológico, além do auxílio médico que, neste caso, tem como reforço a auriculoterapia. Temos quatro reuniões de atendimento em grupo e oito sessões de auriculoterapia, sendo quatro durante o trabalho do grupo e as outras quatro após o término das reuniões. A Secretaria Municipal de Saúde disponibiliza ainda, ao final do trabalho em grupo, medicamento ansiolítico e adesivo antitabagismo por três meses para aqueles que continuarem no propósito de deixar o vício”, declarou Maria José Castro Ferreira, Coordenadora de Atenção Primária da Secretaria Municipal de Saúde.

O trabalho já é considerado um sucesso, pois já foram atendidos, em todas as edições do programa, quase 120 pessoas. “Já atendemos aproximadamente 120 pessoas aqui neste programa. O grupo atual atende a 37 usuários do sistema público de saúde e já temos pessoas interessadas em participar dos próximos grupos que, provavelmente, serão formados no início do próximo ano”, declarou Joana D’arc, enfermeira que coordena os trabalhos.

Segundo a paciente Leidiane Silveira, o apoio oferecido pela Secretaria Municipal de Saúde é fundamental, pois ao deixar de fumar ela diz sentir recuperada a qualidade de vida que havia perdido com o tempo em que se viu presa ao tabagismo. Ela afirma que fuma há 11 anos e que, hoje, sente-se aliviada ao ver-se cada dia mais livre do cigarro. “Tenho 26 anos e comecei a fumar aos 15. No início do acompanhamento eram aproximadamente 15 cigarros de palha por dia. Hoje, com a ajuda destes profissionais, eu fumo apenas um e espero parar totalmente ao término deste tratamento. Considero isso uma grande evolução. Agradeço à Prefeitura de Carmo da Mata por oferecer esta ajuda a quem precisa”, declarou Leidiane.

 Para Maria das Graças, que também aderiu ao tratamento, as orientações passadas pelos profissionais são de grande importância, pois a partir delas ela passou a substituir as ações que a induziam ao consumo do cigarro. “A psicóloga nos ensinou que devemos substituir as atitudes que nos induzem a fumar; por exemplo, ao sentir a necessidade, eu tomo água, chupo uma bala, procuro distrair a cabeça com outra coisa, mas não me rendo ao cigarro. Já diminuí muito a quantidade que fumo por dia e pretendo parar totalmente até o próximo encontro”, afirmou a aposentada.

A atividade desempenhada pelo médico Hygor Cabral é parte importante no tratamento. O profissional é responsável pela auriculoterapia, que, aliada às demais atividades, auxilia na diminuição da ansiedade, trata o equilíbrio energético do corpo e ajuda na recuperação da saúde do paciente. “A auriculoterapia é semelhante à acupuntura, mas ela trabalha apenas no microssistema da orelha. Com ela, é possível controlar o vício, melhorar a função pulmonar e isso tudo contribui para a recuperação da saúde do paciente”, informou o profissional, que é médico do PSF da Várzea. Ele destacou também que o tratamento preventivo desonera os cofres públicos. “O tratamento preventivo e de combate ao tabagismo, associado à auriculoterapia, tem custo muito baixo se comparado com os tratamentos de doenças relacionadas ao cigarro, como as doenças de pulmão e asma, em se tratando de doenças mais simples; sem contar doenças como o câncer e outras mais severas”, explicou o médico, acrescentando que o tabagismo é uma epidemia e deve ser combatida. “As pessoas começam a fumar na maioria das vezes por brincadeira e, quando se dão conta, já estão viciadas e não conseguem se livrar do vício”, finalizou.

Fique atento, procure o Posto de Saúde do seu bairro ou pergunte para seu agente de saúde sobre o programa oferecido pela Secretaria Municipal de Saúde. Em breve, novas inscrições estarão disponíveis para adesão ao programa.



Matérias relacionadas

    Final do corpo do documento e conteúdo da página